32% das empresas afirmam não ter uma estratégia clara de marca empregadora. O dado vem do relatório do Linkedin “Global Trends Report” de 2017, que também apontou o fato de mais de 80% das lideranças reconhecerem que isso tem impacto significativo sobre sua forma de contratação. 

Do outro lado, na ótica das pessoas que buscam emprego, 50% das candidatas não consideram trabalhar em um empresa mal posicionada (não importa o salário) e 56% dos profissionais disseram que a reputação é o fator mais importante a se considerar durante uma oferta.

Construir uma marca empregadora forte é um desafio cada vez mais relevante para o recrutamento e seleção de talentos no mercado de trabalho. O processo de employer branding exige muito planejamento, estratégia e uma boa execução para alcançar o público-alvo que de fato atenderá às demandas da organização.

Nesse contexto, o pilar de diversidade deve ser transversal nas discussões e planos de ações para a construção de marca mais consolidada. Pesquisas de mercado e estatísticas reforçam a importância dessa frente:

  1. 67% dos candidatos querem ingressar em uma equipe diversificada
  2. 57% dos funcionários querem priorizar a diversidade
  3. As empresas inclusivas desfrutam de um fluxo de caixa 2.3x maior
  4. Empresas diversas têm 35% mais chances de superar as homogêneas
  5. 1.7x mais chances de ser líder em inovação no seu mercado
  6. 70% mais chances de conquistar novos mercados

Diante desse cenário, para avançar com relação a esse objetivo é necessário refletir. Vamos ver alguns pontos importantes.

 

Como construir um employer branding inclusivo?

Primeiramente, crie um ambiente interno inclusivo. Um erro muito comum no processo de construção da marca é priorizar o público externo pois aparentemente é o grupo que perceberá um maior valor agregado. A plataforma Teamable recomenda que seja exatamente o contrário, visto que nenhuma comunicação ou publicidade será validada sem uma cultura interna coerente. Confira 7 dicas essenciais:

 

1. Comece com o time interno

Sem o apoio da liderança e dos próprios colaboradores será impossível criar uma cultura de inclusão e estabelecer a marca forte. Sua equipe de recrutamento pode promover iniciativas de diversidade entre os funcionários para identificar aliados e parceiros que se envolverão de forma proativa e voluntária.

Saiba mais sobre lideranças inclusivas em: 

E veja 6 traços de líderes inclusivos: 

 

2. Redesenhe a sua jornada de atração

Diversas empresas têm utilizado o Inbound Recruiting para resolver essa atividade. A metodologia derivada é do marketing e tem ajudado as áreas de RH a desenvolverem processos seletivos mais assertivos e memoráveis (potencializando a experiência do candidato).

A melhor estratégia para aplicar esse conceito é compor uma equipe multidisciplinar (e com pessoas de diferentes perfis) que terá como desafio empatizar e mapear a sua persona ideal (um ou mais perfis de candidato que você quer atrair) e, a partir disso, construir uma jornada do(a) candidato(a) com uma perspectiva inclusiva.

 

3. Monitore dados e a percepção da sua marca

Analise verdadeiramente pesquisas de clima, verifique regularmente sites de opinião de funcionários e solicite feedback dos candidatos após os processos seletivos.

Vincule a marca a métricas de melhorias no recrutamento, taxas de atração e retenção, lucros e participação de mercado. Trabalhe para fazer as alterações necessárias, mesmo que isso signifique encaminhar um feedback construtivo para sua equipe de liderança.

 

4. Trabalhe em colaboração com outras áreas responsáveis

Se sua empresa possui funcionários dedicados a iniciativas de diversidade, reúna-se regularmente para discutir metas, progresso, estratégias e desafios. 

A 3M, um dos clientes no portfólio da Blend Edu, criou um comitê de diversidade e inclusão como forma de pensar e construir ações efetivas, o que também deu origem à grupos de afinidade, com empregados engajados no tema. Essa é uma forma de conseguir o comprometimento genuíno das pessoas que dão vida à empresa – dos seus colaboradores até a presidência e executivos.

Leia mais sobre como iniciar um grupo de afinidade na sua empresa:

 

5. Empodere pessoas de grupos minorizados

Apesar das ações ainda serem tímidas e isoladas, várias marcas já estão buscando mudança. Entre elas, podemos citar a J.Walter Thompson, que lançou o Programa 20/20 com o objetivo de ter pelo menos 20% de seus cargos estratégicos ocupados por negros até 2020 (atualmente são 8%).

Crie infraestrutura e benefícios para as pessoas serem quem elas são. O Banco do Brasil foi um dos primeiros bancos a permitir que funcionários trans utilizassem seu nome social. Outras empresas oferecem benefícios para casais homoafetivos, como a Souza Cruz, que concedeu licença maternidade para um funcionário que adotou uma criança com seu marido. Já a Starbucks incluiu a transição de gênero no plano de saúde da empresa.

 

6. Promova espaços que falem sobre a temática

Realize eventos em toda a empresa que discutam porque você está priorizando a diversidade e a inclusão e o que está fazendo nessas áreas, compartilhando o progresso que fez como organização.

Se você achar que certos grupos estão sub-representados em departamentos específicos, trabalhe com os gestores para descobrir as forças e processos que contribuíram para essa realidade. Em seguida, desenvolva estratégias para atacar o problema.

 

7. Compartilhe avanços e vitórias

Reconheça publicamente comportamentos de recrutamento e contratação que promovem um ambiente mais inclusivo. Você também deve abordar o comportamento que prejudica seus esforços e fornecer treinamentos para corrigi-lo. Fazer isso manterá as iniciativas de diversidade e inclusão da sua empresa em mente para todos os funcionários, criando espaço para o marketing boca a boca.

 

Efeito dominó

Deu pra perceber que o desafio de um employer branding mais inclusivo requer um olhar cuidadoso para dentro da organização, não é mesmo?

Em paralelo, aqui estão algumas maneiras de promover uma marca de empregadora para o mundo exterior: 

  • Se você está apenas começando seus esforços, seja honesto sobre o cenário da sua empresa e o que está sendo feito para melhorar, por mais longe que estejam;
  • Observe os materiais de marca com uma lente de diversidade e inclusão para garantir que eles sejam atraentes para diferentes tipos de pessoas;
  • Use os dados que você coletou de seus funcionários para destacar pontos fortes e seja intencional com a linguagem usada para descrever sua empresa e funções;
  • Se sua empresa progrediu em direção a um local de trabalho inclusivo, garanta que foi compartilhado nos melhores canais de comunicação;
  • Construa uma aproximação emocional poderosa com seus possíveis talentos, isso pode refletir em um menor tempo de fechamento das suas vagas nos seus futuros picos de contratação.

Todo esse conjunto de estratégias (internas e externas) provocarão um efeito dominó em médio e longo prazo, no qual as ações encadeadas poderão gerar um resultado extremamente positivo para todos e todas stakeholders que interessam. 

Se você quiser ajudar nesse processo, conheça as soluções em Diversidade que desenvolvemos aqui na Blend Edu e preencha o formulário no final desta página!