Esse artigo foi elaborado para destacar os principais pontos sobre o tema Diversidade e Inclusão apresentados durante o evento Kenoby Talks, o maior evento da área de Recrutamento e Seleção do Brasil. Abaixo, mostramos os highlights da palestra “Liderança Inclusiva – Estratégias de engajamento para construção de uma cultura de diversidade”, com falas de Augusto Barros, Customer Sucess Analyst na Kenoby. 


Imagem de capa da palestra de Augusto Barros no evento Kenoby Talks.

Uma liderança inclusiva precisa ter:

  1. Comprometimento visível
  2. Humildade
  3. Consciência dos seus vieses
  4. Curiosidade sobre os outros
  5. Inteligência cultural
  6. Colaboração efetiva

O primeiro passo é furar a bolha social, mostrando novos mundos e verdades para a liderança. Como trazer uma pessoa negra, trans, PCD para falar sobre as realidades, dificuldades e as oportunidades para essas pessoas. Nesse primeiro momento, é importante que você traga as pessoas que se identificam, que já trabalham na sua empresa, para compartilhar as suas experiências com as outras pessoas. Assim, a liderança da empresa não vai ver só um dado, mas a realidade de uma pessoa do convívio diário dela.

Use uma abordagem mais educativa e informativa. Afinal, contra dados não há argumentos. Crie um ambiente confortável para tirar dúvidas e fazer esclarecimentos. 

As pessoas acham que por uma pessoa fazer parte de um grupo minoritário dentro da empresa ela precisa receber um tratamento diferenciado, mas ela é apenas um colaborador. O que é preciso entender são as individualidades de cada pessoa, que elas têm perfis diferentes e isso precisa ser levado em consideração. A forma com que você vai avaliar os colaboradores precisa ser pessoal, olhando para cada pessoa como única. 

É preciso mudar toda a mentalidade da liderança. Há uma série de atributos de um líder inclusivo, então é preciso fazer uma autoavaliação para entender o que ainda é necessário fazer para construir uma cultura sólida de inclusão nas empresas.