Segundo o Fórum Econômico Mundial (WEF), 35% das habilidades consideradas como fundamentais pelo mercado de trabalho devem mudar em um curto espaço de tempo. Isso se deve às consequências da 4º Revolução Industrial: a era da robótica, internet das coisas e negócios digitais, potencializados pela interconectividade das redes sociais, automação dos transportes, etc. 

Essa explosão tecnológica, que nos coloca num universo de comunicação mais fluida e ágil, tem impacto direto em uma série de fatores sociais, econômicos, demográficos e geopolíticos. Essas mudanças estruturais também se refletem nas relações que compõem o mundo do trabalho – seja o surgimento ou desaparecimento de profissões ou na composição de novas habilidades demandadas pelo mercado.

Não à toa, diversos especialistas e futuristas definem que estamos vivendo em um mundo VUCA (leia mais nesse artigo do nosso blog), o que explica as mudanças profundas e aceleradas que estamos vivendo e que resultam num cenário de extrema incerteza. 

Nesse sentido, as competências pessoais como flexibilidade, a capacidade de se adaptar, colaborar com os outros e facilitar processos, tornam-se fundamentais para o desenvolvimento das empresas. Dentre esse hall de competências, o Fórum Econômico Mundial lista a empatia como uma das 10 habilidades mais importantes para enfrentar os desafios do mundo contemporâneo, seus conflitos, complexidades e diversidades. 

Segundo o dicionário, a empatia é a habilidade de se colocar no lugar do outro, entender as suas necessidades, sentimentos, ideias e desejos de maneira genuína, usando esse conhecimento como maneira de direcionar as nossas próprias ações. 

Leia mais sobre: O que é empatia e qual a sua importância para as empresas?

Nós da Blend Edu acreditamos no poder da empatia e listamos 6 hábitos de pessoas extremamente empáticas para te ajudar a construir e desenvolver uma cultura mais inclusiva e empática na sua empresa.

 

1. Cultive a curiosidade sobre as pessoas 

Uma boa conversa pode ser reveladora e nos mostrar diferentes pontos de vistas, que não estamos habituados apresentado uma nova visão de mundo. A curiosidade expande nossa empatia quando conversamos com pessoas fora do nosso círculo social habitual, encontrando vidas e visões do mundo muito diferentes das nossas. Faça rodas de conversas com setores diferentes da sua empresa, estimule o diálogo através de jogos interativos e/ou experiências educacionais.

Cultivar a curiosidade requer mais do que uma conversa superficial sobre o clima. É necessário entender o mundo dentro da cabeça das pessoas. A Blend Edu pode te ajudar a desenvolver algumas ações de sensibilização para aumentar o entrosamento das equipes através do diálogo.

 

2. Desafie os preconceitos e encontre pontos em comum

Para apreciar a individualidade do outro é necessário enfrentar os nossos preconceitos enraizados, buscando uma nova perspectiva que desafie a nossa visão de mundo. É importante criar estímulos para que as pessoas saiam de sua zona de conforto e busquem desafiar os próprios preconceitos. É preciso quebrar as barreiras iniciais de diálogo, interação e relacionamento. Pessoas altamente empáticas treinam o seu olhar para buscar mais coisas que possam compartilhar do que as dividir.

 

3. Experimente viver a vida de outras pessoas

Você provavelmente já deve ter ouvido a expressão “calçar os seus sapatos”. Ela é normalmente usada quando tentamos fazer com que uma pessoa faça um esforço para compreender as ações de outra – quando queremos que ela seja mais empática.

Calçar o sapato de outra pessoa não é tarefa fácil. Requer quebrar uma série de preconceitos e uma vontade genuína de se aprofundar na história de outra pessoa, “capturando” o seu ponto de vista sobre o mundo. É preciso método para criar uma atmosfera imersiva, para sensibilizar as pessoas em torno desse objetivo. 

 

4. Ouça bastante – e se abra!

Saber escutar as pessoas ao seu redor é uma arte. Pessoas altamente empáticas sabem escutar e fazem tudo o que podem para conseguir entender o estado emocional e necessidades do seu interlocutor. É essencial  realmente estar presente na conversa e ouvir com atenção e interesse, compreendendo o sentimentos e necessidades.

Exercer a escuta ativa não é suficiente. Uma conversa é feita a dois, por isso, além de ser um bom ouvinte, é necessário ser uma pessoa disposta a se abrir e transparente em relação ao que sentimos, despida de nossas próprias máscaras. Esse é o caminho para se construir um verdadeiro vínculo de empatia e uma conexão real com as outras pessoas.

Lembre-se que a empatia é uma via de mão dupla construída com base no entendimento mútuo — uma troca de nossas mais importantes crenças e experiências.

 

5. Inspire ações em massa e mudanças sociais

A neurociência identifica pelo menos 10 seções do cérebro que forma o “circuito da empatia”, que estabelece a nossa capacidade de se conectar com outras pessoas. Em outras palavras, podemos afirmar que o ser humano é essencialmente um animal empático. Uma pessoa altamente empática acredita que essa capacidade se manifesta não apenas na esfera individual de nossas vidas, mas encontra força, principalmente, no coletivo. Por isso. a importância de contar e exaltar histórias que inspiram a conexão com as outras.  

Uma boa ação pode ser contagiosa. Por isso, é importante desenvolver ações internas que estimulam a empatia, reconhecendo-as e criando mecanismos que valorizem colaboradores e lideranças que protagonizam essas iniciativas.

 

6. Desenvolva uma imaginação ambiciosa

Uma característica de pessoas altamente empáticas é que elas fazem muito mais do que ter empatia com as pessoas que compartilham dos seus valores. Nós também precisamos sentir empatia com pessoas cujas crenças não compartilhamos e que sejam diametralmente opostas de alguma forma.

Bill Drayton, o criador do conceito de “empreendedorismo social” acredita que, em uma era de mudanças rápidas, dominar a empatia é a principal habilidade de sobrevivência de um negócio. É por isso que as as organizações devem ser ambiciosas com seu pensamento empático, porque a empatia sustenta o trabalho em equipe e a liderança de sucesso. 

A empatia pode ser um excelente instrumento de transformação social e de impacto no mundo. Na era do mundo digitalmente conectado, é preciso saber construir relações reais e genuinamentes interessadas. Comece já!