Estamos em um momento de incertezas. A percepção de falta de controle e a disseminação de informações equivocadas aumentam os riscos de preconceito, xenofobia e racismo. Em tempos de crise, é mais importante do que nunca praticar a liderança inclusiva.

Diante de uma pandemia global com implicações sociais e econômicas de longo alcance, a transição para uma nova maneira de trabalhar apresenta desafios e oportunidades na promoção da diversidade e inclusão (D&I). E os líderes devem ser os aceleradores das transformações nas organizações.

Políticas em constante mudança impactam os indivíduos de diferentes maneiras e podem perpetuar as desigualdades no local de trabalho:

  1. Classificação do trabalho; 
  2. Status socioeconômico; 
  3. Identidade racial e de gênero;
  4. Estrutura familiar; 
  5. Status da imigração;
  6. Facilidade de alternativas virtuais ao trabalho diário.

Por isso, todas as organizações devem tomar medidas agora para continuar a fortalecer a diversidade e construir culturas inclusivas por meio de novas estratégias de comunicação (internas e externas), programas, campanhas e treinamentos, práticas de coleta de dados e intervenções que impulsionam em direção a um ambiente mais justo. 

A imagem revela uma reunião de trabalho, com três mulheres negras e duas mulheres brancas,com 5 pessoas discutindo sobre um projeto em cima de uma mesa, que está ao centro.

Como as organizações podem promover inclusão frente às novas dinâmicas de trabalho?

Justiça e respeito: valide com os funcionários novas políticas que promovam um tratamento equitativo para os colaboradores, por meio de pesquisas ou outros mecanismos. Além disso, considere se todos têm acesso igual aos recursos necessários para a realização dos trabalhos.

Valor e pertencimento: especialmente porque muitas pessoas estão trabalhando no modelo remoto ou com base em novas agendas, implemente práticas de baixo custo e alto impacto para promover a segurança psicológica e reconhecer todos e todas por suas contribuições contínuas.

Confiança e inspiração: crie condições para que os trabalhadores se manifestem e divulguem com confiança as preocupações e necessidades profissionais. Alavancar a inteligência coletiva de um time diverso pode ajudar a expor políticas ou comportamentos involuntariamente excludentes.

Além disso, a pesquisa The six signature traits of inclusive leadership, publicada em 2016 pela consultoria Deloitte, mostra que os líderes inclusivos demonstram seis características principais:

  1. Comprometimento;
  2. Coragem;
  3. Compreendem seus vieses;
  4. Curiosidade;
  5. Inteligência cultural;
  6. Colaboração.

Como uma liderança inclusiva pode atender às necessidades imediatas do seu time?

  • Comprometimento em construir uma cultura inclusiva: devido à origem do surto de COVID-19, as comunidades asiáticas têm sido alvo de maior agressão racial, por exemplo. Uma liderança inclusiva deve:
    • Disponibilizar recursos de suporte para aqueles afetados por comportamento discriminatório ou agressivo;
    • Alavancar espaços virtuais para reiterar políticas antidiscriminatórias e enfrentar vieses com fatos;
    • Usar linguagem construtiva e evitar chamar COVID-19 por um nome que associe o vírus a uma região ou grupos específicos.
    • Educar-se, continuamente, em relação à boas práticas e escuta ativa. Em relação ao racismo contra pessoas negras, por exemplo, aqui na Blend Edu, nós disponibilizamos dois materiais que podem ajudar: “Como líderes podem ser aliados no debate racial” e “Olhe para dentro: como ser um aliado na luta antirracista”.
  • Coragem para responsabilizar a si e aos outros: este é o momento de desafiar as práticas do status quo e as novas diretrizes que podem exacerbar os desafios de D&I em uma organização. Uma liderança inclusiva pode recorrer à humildade para ser aliada dos funcionários e ter atitudes como:
    • Contar histórias pessoais para promover transparência, sinceridade e empatia;
    • Falar quando uma linguagem intolerante for usada no local de trabalho;
    • Reconhecer políticas que não são inclusivas e tomar medidas para melhorá-las.
  • Noção dos vieses e pontos cegos: os funcionários vêm de origens socioeconômicas e étnicas cada vez mais diversas. Líderes inclusivos usam canais de feedback (como mídias sociais internas e caixas de correio monitoradas) para evitar pontos cegos pessoais e garantir que as políticas não excluam qualquer segmento.

Como, enquanto uma liderança inclusiva, você pode ajudar a moldar as práticas de D&I em andamento?

  • Construção de inteligência cultural: a liderança inclusiva equilibra as soluções de curto e longo prazo por meio de treinamentos e experiências que aumentam a sensibilidade cultural e incentivam a aliança todos os indivíduos.
  • Curiosidade para aprender: a crise do COVID-19 evoluiu e está forçando as organizações a se adaptarem constantemente. Cabe aos tomadores de decisão aprenderem com as mudanças que tiveram um impacto positivo e identificar novas maneiras de:
    • Serem aliados dos funcionários que enfrentam menos horas de trabalho, cuidando em tempo integral de crianças ou outras pessoas afetadas pelo vírus;
    • Equilibrar a segurança da força de trabalho com as necessidades críticas dos negócios;
    • Explorar maneiras de atrair, virtualmente, diversos talentos.
  • Reformulação dos modelos de trabalho: em todo o mundo, as organizações estão exigindo longos períodos de trabalho remoto ou horários de trabalho alternativos. Uma liderança inclusiva deve explorar maneiras de manter essa flexibilidade, mesmo após a pandemia:
    • Capacitar as organizações com políticas e ferramentas de trabalho flexíveis, sistemas de apoio ao bem-estar e recompensas que atendam às necessidades de uma equipe diversificada;
    • Estabelecer diretrizes para ajudar os trabalhadores a se adaptarem a uma mudança de estilo de trabalho a longo prazo e melhorar a colaboração entre colegas de equipe com diferentes agendas e localizações geográficas.

Ao cultivar e praticar esses comportamentos, as lideranças podem promover um ambiente de trabalho mais inclusivo diante da COVID-19, hoje e à longo prazo.

Nós, da Blend Edu, podemos te ajudar com o primeiro (ou o segundo, ou o terceiro) passo. No contexto de crise, criamos o Diversidade SA, a primeira comunidade virtual de aprendizagem do mercado com foco no desenvolvimento de uma liderança engajada nos desafios de diversidade. Utilizamos o poder da tecnologia para construir conexões, compartilhar informações e possibilitar a formação de uma comunidade com alto poder de transformação. 

A imagem representa o Diversidade SA, produto da Blend Edu.

Conheça todas as nossas soluções: https://www.blend-edu.com/#solutions

**Tradução adaptada, baseada no material “Addressing the impact of COVID-19: Practicing inclusive leadership in times of crisis”, publicado pela Deloitte em 2020.